O Caminho de Santiago de Compostela

O Caminho de Santiago de Compostela foi considerado como o Primeiro Itinerário Cultural Europeu.

Da mesma forma pelo Conselho da Europa e é uma peregrinação não só de essência religiosa. Mas que também permite uma ligação cultural entre povos do mundo todo.

O CAMINHO é uma experiência de fé, solidariedade igualmente de autossuperação. Da mesma forma quem o percorre consegue descrever a imensidão espiritual que está nele envolvido. Sob o mesmo ponto de vista os peregrinos, como são chamadas as pessoas que percorrem o CAMINHO. Consequentemente buscam uma experiência religiosa conseguem imergir na história de Jesus Cristo.

Um pouco da história do CAMINHO …

Jacob ou Jacó, nome pelo qual Tiago ou Santiago é referido na Bíblia. pois era filho de Zebedeu ou Santiago Maior em uma família de pescadores e foi um dos discípulos mais importantes de Jesus Cristo. Consoante foi um dos primeiros apóstolos a seguir Jesus, participou da Transfiguração de Jesus no monte Tabor e da Agonia de Cristo no Jardim das Oliveiras. Apesar de Tiago aparecer também nos testemunhos da terceira aparição de Jesus de Nazaré nas margens do lago de Tiberíades. Em virtude de estar presente no último milagre do messias cristão.  Tiago foi também um dos seguidores de Jesus que acompanhou a Virgem Maria no seu leito de morte.

Igualmente as escritas relatam que antes da Virgem  Maria morrer, ela recebeu a visita de Jesus Cristo ressuscitado. Que lhe pediu para unir seus apóstolos que se encontravam espalhados pelo mundo para os encorajar a continuar a evangelização. Deste modo, Maria fez sua primeira aparição em um pilar na região de Caesaraugusta. Hoje Zaragoza, na frente de Tiago e mais sete varões e lhes pediu perseverança para seguir com a suas missões.  Então o local onde Maria apareceu foi construído o primeiro templo em homenagem à Santíssima. A capela de Nossa Senhora do Pilar, a devoção se consolidou tanto que Nossa Senhora do Pilar se tornou a padroeira da Espanha.

Tiago retornou à Jerusalém quando da morte da Virgem Maria. Consequentemente morreu após ser torturado e decapitado no ano 42. A mando de Herodes Agripa I, rei da Judeia. Os seus discípulos Teodoro e Atanásio, como diz nas escrituras, levaram o corpo e a cabeça do apóstolo Santiago de volta à Espanha. Numa uma barca de pedra até Galiza, onde ancorou no porto de Iria Flavia. Local onde hoje é conhecido como Padrón, a 20 km de Compostela. Os restos mortais de Santiago foram depositados no monte Libredón, onde foi construída a Igreja de São Félix de Solovio. Neste mesmo monte, oito séculos mais tarde, avistou-se uma estrela de uma luminosidade esplêndida. Pela razão que foi assim a origem do nome Compostela; campus stellae, “Campo da Estrela”.

Os discípulos foram pedir para sepultar Santiago à rainha Lupa. Logo depois então controlava as terras onde hoje está Compostela. Porém a monarca prendeu os homens num cativeiro. Segundo relatos, um anjo luzente libertou-os da prisão e durante a fuga ocorreram vários milagres que acabaram por converter Lupa ao cristianismo. Deste modo autorizou enterrar o apóstolo Santiago em seu castelo, onde hoje está erguida a Catedral de Santiago.

Assim surge a vontade de emergir no CAMINHO de Santiago de Compostela. Uma vez que sendo para vivenciar a história bíblica, pois por esse mesmo CAMINHO passaram figuras importantes na época medieval. Peregrinar no CAMINHO, além de toda a bela paisagem natural e arte arquitetônica. É porém uma experiência de sentido ecumênico, visto que a Europa foi sendo formada por entre esses caminhos incertos e a história foi sendo criada.

Diversos são os pontos de passagem ao longo do CAMINHO recheados de história e que valem a pena conhecer. Pedalar no CAMINHO é uma opção vantajosa pois pode-se realizar o percurso de maneira mais ágil com a possibilidade de se dedicar um tempinho a mais em cada um dos monumentos historicamente conhecidos.